Brasil e Chile concluem primeira rodada de negociações comerciais

18 June 2018

Brasil e Chile realizaram, de 6 a 8 de junho, a primeira rodada de negociações para um acordo de livre comércio. As tratativas foram lançadas por ocasião da visita a Brasília (Brasil) do presidente do Chile, Sebastián Piñera, em 27 de abril (ver Boletim de Notícias Pontes). A reunião logrou avanços em temas como comércio de serviços, comércio eletrônico, telecomunicações, medidas sanitárias e fitossanitárias, facilitação do comércio para micro, pequenas e médias empresas, barreiras técnicas ao comércio, coerência e boas práticas regulatórias.

 

Segundo Felipe Lopeandía, diretor de Assuntos Econômicos Bilaterais no Ministério de Relações Exteriores do Chile, as negociações têm sido realizadas em ritmo acelerado desde abril passado, a pedido dos presidentes Michel Temer e Sebastián Piñera. Nesse sentido, a próxima reunião está programada para inícios de agosto, e rodadas adicionais serão realizadas em setembro e outubro, com o objetivo de finalizar os trabalhos para que o acordo seja concluído em finais de 2018.

 

Para o Brasil, o Chile é o segundo principal parceiro comercial na América do Sul, além de um importante destino de investimentos brasileiros na região. Em 2017, o comércio bilateral alcançou US$ 8,5 bilhões – um incremento de 22% em relação ao mesmo período em 2016. Nos cinco primeiros meses de 2018, o comércio entre os dois países aumentou cerca de 27%. Para o Chile, o Brasil é o maior parceiro comercial também na América do Sul, assim como o principal destino dos investimentos chilenos no exterior, com estoque de US$ 31 bilhões.

 

As negociações entre Brasil e Chile constituem um esforço complementar ao Acordo de Complementação Econômica No. 35 (ACE 35) entre o Chile e o Mercado Comum do Sul (Mercosul), em vigor desde 1996. Para além disso, as tratativas entre os dois países inscrevem-se em um contexto marcado pela aproximação entre o Mercado Comum do Sul (Mercosul) e a Aliança do Pacífico (ver Boletim de Notícias Pontes).

 

O Chile adquire importância central nesse processo, uma vez que é membro da Aliança do Pacífico e país-associado no Mercosul. Uma ilustração dessa posição estratégica pode ser encontrada na agenda do ministro de Relações Exteriores do Chile, Roberto Ampuero, que participou, em 14 e 15 de junho, da reunião de chanceleres da Aliança do Pacífico, na Cidade do México. No dia seguinte, Ampuero participa da Cúpula do Mercosul, a ser realizada em Assunção, representando o presidente chileno, Sebastián Piñera. A primeira reunião de mandatários entre Mercosul e Aliança do Pacífico terá lugar em julho próximo.

 

Reportagem ICTSD

 

Fontes consultadas:

 

DIRECON. Brasil y Chile esperan suscribir acuerdo antes del fin de año. (08/06/2018). Acesso em: 14/06/2018.

 

Itamaraty. I Rodada de Negociações do Acordo de Livre Comércio Brasil – 6 a 8 de junho. (08/06/2018). Acesso em: 14/06/2018.

 

La Tercera. Canciller viaja a cumbres de Alianza del Pacífico y Mercosur con plan de integración. (12/06/2018). Acesso em: 14/06/2018.

13 June 2018
O governo da China anunciou, em 8 de junho, a imposição temporária de tarifas antidumping às importações de carne de frango brasileira. Com isso, os importadores chineses de frango proveniente do...
Share: 
21 June 2018
Os ministros de Relações Exteriores e de Comércio Exterior dos países que integram a Aliança do Pacífico (Chile, Colômbia, México e Peru) reuniram-se em 14 e 15 de junho, na Cidade do México, na XIX...
Share: