São Paulo anuncia plano para reciclar e compostar 80% do lixo

9 April 2014

A Prefeitura de São Paulo, maior cidade da América Latina, iniciou a implantação de um plano de manejo de resíduos sólidos. As medidas contempladas no plano pretendem reduzir, em 20 anos, o volume de lixo despejado nos aterros sanitários de 98,2% para 20%, por meio da ampliação em mais de cinco vezes da coleta pública seletiva de resíduos secos (latas, vidros, plásticos e papéis). Essa meta está prevista no Plano de Resíduos Sólidos, que foi apresentado em 2 de abril pelo prefeito Fernando Haddad (PT).

O documento também traz metas para o manejo de resíduos secos e orgânicos e para os restos da construção civil, além do lixo produzido por escolas, feiras, sacolões e mercados. O Plano prevê, ainda, a difusão de práticas de compostagem, reciclagem solidária e educação ambiental, assim como ações de logística reversa – comercialização de créditos de reciclagem para empresas privadas, em procedimento similar à venda de créditos de carbono.

Segundo o secretário municipal de Serviços, Simão Pedro, o novo plano adapta o sistema de coleta da Prefeitura ao Plano Nacional de Resíduos Sólidos, de 2010. "Fizemos uma opção radical pela reciclagem, em vez de apostar em outras resoluções, como incineração do lixo", afirmou.

Para aumentar a coleta seletiva de resíduos secos de 1,8% para 10%, até 2016, a Prefeitura prevê ampliar a abrangência do serviço para os 96 distritos do município. Hoje, a coleta segregada de resíduos alcança 75 distritos, que correspondem a 42% dos domicílios paulistanos.

Para dar conta do processamento de todo esse lixo, o plano prevê a construção de quatro centrais mecanizadas de triagem. As duas primeiras centrais de triagem de resíduos secos – Ponte Pequena (região central) e Interlagos (zona sul) – devem ser inauguradas em junho; as demais só devem entrar em operação em 2016. Cada uma dessas centrais receberá das empresas concessionárias investimentos de R$ 35 milhões e processará 250 toneladas diárias de resíduos recicláveis, o que possibilitará ao município triplicar sua capacidade de processamento.

Outro objetivo da administração municipal é fazer com que, até 2033, ao menos 30% dos paulistanos tratem dentro de casa os resíduos orgânicos domiciliares, que correspondem a 51% das 20,1 mil toneladas de lixo coletados por dia na cidade. Para isso, a Prefeitura deve começar a distribuir gratuitamente, ainda em abril, 2 mil equipamentos para que as pessoas façam a compostagem dos restos de alimentos, que viram adubo após o tratamento.

Para o lixo reciclável úmido, como caixas de pizza, papel higiênico e fraldas descartáveis, a Prefeitura pretende criar três ecoparques na cidade, inspirados em instalações existentes na Alemanha e na Espanha, onde será feita a separação do material que pode ser reciclado daquele que deve seguir para os aterros. O plano também inclui a meta de compostar 100% do lixo das 880 feiras livres até 2016.

Reportagem Equipe Pontes

Fontes consultadas:

DCI. Prefeitura de São Paulo elabora plano de resíduos sólidos com coleta seletiva. (03/04/2014). Acesso em: 8 abr. 2014.

O Estado de S. Paulo. São Paulo quer reciclar e compostar 80% do lixo. (02/04/2014). Acesso em: 8 abr. 2014.

MMA Online. São Paulo inicia implantação do plano municipal de resíduos sólidos. (04/04/2014). Acesso em: 8 abr. 2014.

Prefeitura de São Paulo Online. Plano de Resíduos Sólidos prevê ampliar em cinco vezes a coleta seletiva na cidade. (02/04/2014). Acesso em: 8 abr. 2014.

7 April 2014
Exaltações ao potencial da agricultura brasileira não são recentes. Há algo, porém, que vai além da caracterização de variáveis como o clima, o solo ou o estoque de recursos hídricos. Graças às...
Share: 
11 April 2014
Após meses de negociação, o Brasil recebeu a chancela para se tornar um grande exportador de milho para o mercado chinês. A Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena da...
Share: