Tiro na água?

9 September 2015

Encurralado pela crise, o Palácio do Planalto sabe que o tempo urge. Diante do árido cenário que se coloca à frente, há quem considere que a única saída é uma arriscada "virada de mesa". Outros, mais cautelosos, avaliam que o caminho a seguir é a retomada da iniciativa e a proposição de caminhos alternativos para o combate das mazelas econômicas que afligem o Brasil.

 

Em um mundo tão conectado, uma política comercial coerente é um imperativo para qualquer iniciativa que pretenda estancar a atual crise. Por isso, o lançamento do Plano Nacional de Exportações deve ser celebrado. Ao propor uma estratégia e vincular objetivos a ela, o governo brasileiro coloca a possibilidade de um debate sério sobre o papel do Brasil no sistema econômico internacional, bem como sobre a posição do comércio exterior nessa agenda. Defensores e críticos do texto divulgado em junho certamente concordarão que, ao se manifestar sobre o tema, a administração Dilma Rousseff oferece um ponto de partida para o diálogo.

 

O presente número do Pontes busca estimular a sua reflexão, prezado(a) leitor(a), sobre o Plano Nacional de Exportações. Nas páginas a seguir, especialistas com reconhecida trajetória no estudo das estratégias comerciais perseguidas pelo Brasil discutem as principais características e consequências da iniciativa. Ofecerem, ademais, um rico diagnóstico acerca das principais limitações do Brasil.

 

O esforço nessas duas frentes é altamente desejável. Afinal, grande parte da complexidade inerente ao termo "competitividade" deriva do encadeamento entre suas dimensões fundamentais. Vantagens em relação aos concorrentes implicam não apenas o delineamento de uma linha de ação efetiva, mas, sobretudo, um profundo conhecimento por parte daquele que a busca.

 

Avaliações realistas constituem recurso dos mais escassos em determinados momentos históricos. Longe de reivindicar o monopólio da verdade, o Pontes coloca às suas páginas uma missão fundamental: informar o debate público em questões relacionadas ao comércio e ao desenvolvimento sustentável. Para participar dessa discussão, as opções são diversas: seja no site da publicação, nas redes sociais ou por e-mail, você, prezado(a) leitor(a), tem o nosso compromisso de que suas ideias serão sempre ouvidas.

 

Esperamos que aprecie a leitura.

 

A Equipe Pontes

This article is published under
9 September 2015
Ao analisar os principais pilares que compõem o PNE, o autor discute os pontos em que o referido Plano avança, bem como aqueles em que ainda é necessário delinear metas e estratégias mais específicas, a fim de aprimorar a inserção do Brasil na economia mundial.
Share: 
14 September 2015
Em 31 de agosto, a Indonésia solicitou à Organização Mundial do Comércio (OMC) a abertura de um painel contra as medidas antidumping impostas sobre seu biocombustível pela União Europeia (UE). A...
Share: